No dia 2 de junho de 2016, as equipes de exibição acrobática Blue Angels estavam ensaiando para o Show da Carolina do Norte quando um dos aviões caiu em um campo perto do Aeroporto Internacional Smyrna, no Tennessee. O piloto, o capitão Jeff Kuss, morreu instantaneamente no impacto.

O acidente foi uma grande tragédia para a equipe dos Blue Angels e seus fãs, causando um debate sobre a segurança dos shows aéreos e o treinamento dos pilotos envolvidos.

Uma investigação foi prontamente realizada para determinar a causa do acidente. Os resultados preliminares revelaram que o motivo principal foi a falha do piloto em manter o controle do avião em um momento crítico durante a manobra. Além disso, uma combinação de fadiga, pressão de tempo e falta de treinamento específico para aquele tipo de manobra também foi considerada como contribuinte para o acidente.

Como resultado da investigação, várias medidas foram implementadas para melhorar a segurança dos shows aéreos dos Blue Angels. A equipe agora é obrigada a seguir protocolos mais rigorosos de segurança, incluindo o aumento do tempo de treinamento e a redução da programação de shows aéreos como medida preventiva. Além disso, as manobras complexas e menos conhecidas foram eliminadas dos shows da equipe.

Outras equipes de exibição acrobática também revisaram seus protocolos de segurança após o acidente dos Blue Angels. O Comitê Internacional de Aviação de Entretenimento Aéreo (ICAS) anunciou que todas as equipes de exibição acrobática estão agora sujeitas a diretrizes mais rigorosas de treinamento e aprovação antes de serem autorizadas a realizar shows.

Em resumo, o acidente dos Blue Angels em 2016 foi uma tragédia que chocou as comunidades aeronáutica e de entretenimento em todo o mundo. No entanto, as medidas de segurança rigorosas e a revisão dos protocolos de treinamento implementadas como resultado do acidente foram medidas positivas para melhorar a segurança dos shows aéreos e prevenir futuras tragédias.